Família Evangelizada Sociedade Feliz

Biblioteca Humberto de Campos

A Biblioteca Espírita Humberto de Campos é composta por livros espíritas e por periódicos espíritas que estão à disposição de todos os freqüentadores do Grupo Espírita Guillon Ribeiro. Ela tem por objetivo divulgar a Doutrina Espírita, bem como, levar consolo e entendimento aos diversos leitores.

Como se associar à Biblioteca

Qualquer freqüentador do Grupo Espírita Guillon Ribeiro pode se associar. Para isso, basta ir à Biblioteca e levar um comprovante de residência, doar um livro espírita, um quilo de alimento não perecível ou um item de material de limpeza. A lista de alimentos e materiais de limpeza que podem ser doados estarão à disposição na Biblioteca.

Prazos para ficar com o material

O usuário poderá levar até 03 itens a cada empréstimo. O prazo para a devolução será:

  • Livros: 30 dias
  • Revistas: 15 dias

Observações Importantes

  • No ato do empréstimo de materiais é entregue ao usuário um recibo constando a data de devolução. Esta data deve ser respeitada.
  • A renovação do material só poderá ser efetuada pessoalmente na Biblioteca.
  • Em caso de atraso do material, o usuário não poderá fazer novos empréstimos.

Extravio

Em caso de perda ou danificação do livro ou revista, o usuário deverá repor o mesmo título ou equivalente à Biblioteca.

Horários de funcionamento

  • Segunda-Feira: das 20h às 21h20 
  • Terça-Feira: das 19h40 às 21h20 
  • Sábado: das 17h às 17h25

Sugestões de leitura

Clique aqui e conheça as obras indicadas para leitura deste mês, disponíveis na Biblioteca Humberto de Campos.

 

Perante o livro

“Examinai tudo. Retende o bem.” — Paulo (I Tessalonicenses, 5:21)

Consagrar diariamente alguns minutos à leitura de obras edificantes, esquecendo os livros de natureza inferior, e preferindo, acima de tudo, os que, por alimento da própria alma, versem temas fundamentais da Doutrina Espírita.

Luz ausente, treva presente.

Digerir primeiramente as obras fundamentais do Espiritismo, para entrar em seguida nos setores práticos, em particular no que diga respeito à mediunidade.

Teoria meditada, ação segura.

Dentro do tempo de que disponha, conhecer as obras reunidas na biblioteca do templo ou núcleo doutrinário a que pertença.

Livro lido, idéia renovada.

Apreciar com indulgência as obras de combate ao Espiritismo, compreendendo-lhes a significação, calando defesas precipitadas ou apaixonadas, para recolher, com elas, advertências e avisos destinados ao aperfeiçoamento da obra que lhe compete.

Vale-se o bem do mal, para fazer-se maior.

Oferecer obras doutrinárias aos amigos, inclusive as que jazem mofando sem maior aplicação dentro de casa, escolhendo o gênero e o tipo de literatura que lhes possa oferecer instrução e consolo.

Livro nobre, caminho de ascensão.

Disciplinar-se na leitura, no que concerne a horários e anotações, melhorando por si mesmo o próprio aproveitamento, não se cansando de repetir estudos para fixar o aprendizado.

Aprende mais, quem estuda melhor.

Sem exclusão de autor ou de tema versado, analisar minuciosamente as obras que venha a ler, para não sedimentar no próprio íntimo os tóxicos intelectuais de falsos conceitos, tanto quanto as absurdidades literárias em torno das quais giram as conversações enfermiças ou sem proveito.

Os bons e os maus pensamentos podem nascer de composições do mesmo alfabeto.

Divulgar, por todos os meios lícitos, os livros que esclareçam os postulados espíritas, prestigiando as obras santificantes que objetivam o ingresso da humanidade no roteiro da redenção com Jesus.

A biblioteca espírita é viveiro de luz.

(André Luiz. Conduta Espírita, cap. 41)